jusbrasil.com.br
20 de Outubro de 2017

Advogados também podem evitar problemas, não só consertá-los!

A visão da Advocacia preventiva como investimento

Romes Jorge, Advogado
Publicado por Romes Jorge
há 2 anos

Advogados tambm podem evitar problemas no s consert-los

Muitos de nós, ainda hoje, pensamos na figura do Advogado como o profissional em solucionar problemas, buscar brechas na lei ou em algum contrato, ou ainda como uma forma de resolver algum litígio (conflito, briga, desentendimento, etc...). Acontece que muitos não imaginam que a eficácia dos serviços advocatícios pode ser maximizada através do que pode ser chamado de “Advocacia Preventiva”.

De maneira simples, pode-se dizer que advocacia preventiva é a atuação do advogado antes mesmo do surgimento de algum problema. Através de estratégias e orientações ao cliente, consegue-se reduzir a probabilidade de haver algum conflito ou processo judicial futuro. Interessante, não?

Comparemos tal serviço com a atuação de um médico em relação a seu paciente: o médico que atua na prevenção de determinada doença pode prescrever medicamentos, exercícios, hábitos alimentares, tratamentos médicos, dentre inúmeras outras possibilidades, enquanto o médico que é procurado após o surgimento da doença em geral possui um número mais limitado de opções para combater a condição indesejada.

Desta forma, o planejamento jurídico está ganhando cada vez mais importância no Brasil, espelhando o que já ocorre nos EUA e também na Europa, como uma forma de reduzir os riscos em determinada atividade e evitar perdas futuras (sejam elas financeiras ou não). Entretanto, o que pode fazer o Advogado no sentido de prevenir litígios e reduzir os riscos?

O advogado preventivo busca antecipar/prever possíveis litígios e problemas jurídicos em diversas áreas como Direito Ambiental, Contratual, Empresarial, Tributário, Trabalhista, Corporativo, Imobiliário, Financeiro... Enfim, basicamente qualquer atividade que envolva riscos futuros pode ser orientada pelo Advogado, o qual deve ter uma abordagem diferenciada do “Advogado Convencional”, no sentido de ter uma visão holística. Isto devido à necessidade de prever várias situações e cenários possíveis na busca da estratégia mais favorável ao cliente.

Agora vem a pergunta: será que apenas grandes empresas devem se utilizar da Advocacia Preventiva? Decerto que não! Qualquer pessoa pode usufruir dos benefícios do planejamento jurídico, de forma a reduzir os riscos de suas atividades, sejam elas comerciais, empregatícias, fiscais, ou quaisquer outras. O investimento em tal setor é mais comum em empresas devido ao fato de as mesmas lidarem com altos volumes financeiros, empregados, tributos e outros, aumentando bastante o risco de algum incidente jurídico.

Se observarmos grandes empresas, especialmente aquelas com avaliação positiva de funcionários, consumidores e parceiros, provavelmente encontraremos profissionais ou setores inteiros voltados para o planejamento jurídico e ligados diretamente à cúpula de direção, tal a importância da redução de riscos para suas atividades.

Portanto, pensemos na advocacia preventiva como um investimento, uma forma de se evitar problemas futuros, e dispêndios ainda maiores de capital. Afinal de contas, já dizia o ditado... “Melhor prevenir do que remediar”!

0 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)