jusbrasil.com.br
19 de Agosto de 2017

Você acha que Advogados são caros?

Romes Jorge, Advogado
Publicado por Romes Jorge
há 2 anos

Nota: Onde se escreve “Advogado”, leia-se Advogado ou Advogada. Vamos contribuir para a igualdade de gênero nas diversas profissões!

Voc acha que Advogados so caros

Quem de nós nunca ouviu alguém reclamar sobre os altos custos em se contratar um advogado? E quantos também nunca se perguntaram o porquê de honorários tão altos em determinados casos? Este é um dos maiores dilemas envolvendo a profissão da Advocacia atual, por isso a importância de refletirmos a origem do valor dos serviços jurídicos hoje em dia.

Tempo e recursos investidos para se obter um diploma, custos para manter o escritório, e até mesmo o tempo de trabalho envolvido em cada caso, são apenas alguns dos fatores que contribuem para a determinação do valor de um serviço jurídico. Entretanto, poucos clientes realmente sabem as responsabilidades envolvidas quando seu advogado assina um contrato de honorários. Na verdade, enquanto um cliente deseja apenas se livrar da prisão, analisar um contrato ou solicitar seu divórcio, automaticamente seu advogado se compromete a muito mais.

Ao assinar o contrato com o cliente, a ideia a se considerar é a de que o problema do cliente passa a ser o problema do advogado. Enquanto o cliente chega em casa e dorme tranquilamente após dias ou mesmo meses, seu advogado chega em casa e passa a noite solucionando problemas jurídicos ou pontos importantes daquele caso. Aos fins de semana, em jantares, durante a noite, ao brincar com os filhos, o advogado nunca para de trabalhar.

Advogados são caros, pois você paga por muito mais do que imagina!

Outros podem pensar que após a conclusão do curso de Direito e a aprovação no Exame de Ordem o advogado está pronto para o que der e vier... Nada disso! Advogados nunca param de estudar, em partes por que a legislação está em constante mudança, e também por que cada caso é único. Apesar de similaridades e semelhanças entre clientes ou casos, a cada novo caso começa-se o trabalho do início.

Há de se mencionar ainda a existência de um mercado profissional extremamente saturado, com mais profissionais se formando a cada dia. Isto faz com que o advogado tenha que se aperfeiçoar, buscando sempre cursos de especialização, congressos, conferências e outras atividades que contribuam para sua expertise no ramo, o que também requer investimentos e dedicação.

E que tal pensarmos sobre a importância da profissão em nosso país? A própria Constituição Federal, expoente máximo da justiça e da estruturação governamental no Brasil, nos diz em seu Art. 133 que “O advogado é indispensável à administração da justiça, sendo inviolável por seus atos e manifestações no exercício da profissão, nos limites da lei”. Simplesmente imaginemos como poderíamos defender nossos direitos contra abusos cometidos por terceiros (e por que não pelo próprio Estado?) se não fossem pelos Advogados, agentes da justiça e igualdade?

A partir daí, começamos a ter uma noção da relevância do advogado em nossas vidas. Ouso até dizer que se você nunca contratou os serviços de um advogado, provavelmente ainda precisará de algum no futuro...

Agora, refaço a pergunta, já que talvez suas ideias sobre o tema tenham mudado um pouco: e aí, ainda acha que advogados são caros?

31 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Além disso, o cliente só te procura depois de fazer tudo errado, nunca antes, desta forma o trabalho é redobrado! continuar lendo

Colega, tocastes no ponto crucial da questão!

Sempre gosto de dar o exemplo do regime de bens na união estável (ou até no casamento). Os companheiros na união estável sempre acham um absurdo pagar algumas poucas consultas, totalizando aí uns 500 reais, para formular uma boa declaração, com escolha de regime de bens, fixar uma data inequívoca para o marco inicial etc. Aliás, nem ao menos se importam com isso! Aí, na hora em que não dá certo, e decidem pela separação e divisão dos bens, reclamam dos custos com um advogado, quando ele abre a boca para falar dos honorários (vou chutar aí uns 5 mil)! Só que não levam em consideração, o quanto teriam economizado antes de realizar o ato jurídico, e que teria saído muito mais barato!

Ora, o médico não cobra consulta preventiva? E quando tem de operar, não custa bem mais caro? O contador não cobra mensalidades para consultas? E quando o cliente ignora as orientações, não sai mais caro? Por que motivos o advogado não pode fazer o mesmo? continuar lendo

E a galera das profissões que não foram lançadas na Constituição, piram de raiva.Inclusive magistrados.ahahaha continuar lendo

Haha, verdade... Entretanto, quanto aos magistrados não sei, já que eles possuem uma seção inteira dedicada na CF/88, rs! continuar lendo

Ótimo texto. seria muito interessante esses mesmos considerandos para o Professor, visto que este profissional é o formador de todas as profissões, e não tem seu devido reconhecimento, especialmente na remuneração. continuar lendo

Ah sim, com certeza os professores seriam aqueles que ganhariam ainda mais que advogados, considerando a importância daqueles para a formação de todas as outras profissões! continuar lendo

Excelente artigo! continuar lendo

Obrigado, Carolina! continuar lendo